Ninho de Guacho

Para quem se lembra existia uma pequena seção no Pasquim que se chamava PING PONG, algo como quem veio primeiro, o ovo ou a galinha.
Outro dia um amigo aqui do Morro do Papagaio me trouxe uma luminária de barbante por achá-la exótica e que combinava com minha casa que é cheia de trecos e aí lembrei-me do ping pong.

Numa sequência de estádio chinês, sandália da melissa, sofá e luminária, me ficou a sensação que tudo começou mesmo na origem, com os pássaros (ninho de guache ou cegonhas), depois passou pela china (talvez) com os antepassados do artista chinês Ai Weiwei, pelos nosso antepassados artesãos, pelos Campanas e finalmente pelos arquitetos Hersog e De Meuron. Claro que daí para frente surgem filhotes como esta loja Hèrmes em Paris.

O que é melhor: todos estes ninhos acabam agradando a todos.
São ótimos.
Ping ping pong.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *