Tag: projetos

sylvio_recentes

Livro Sylvio de Podestá: projetos recentes

AP Cultural | 2008 Os trabalhos mais recentes somam-se à projetos inéditos, mais antigos, para compôr o ùltimo livro do arquiteto Sylvio de Podestá, que através de desenhos, fotos, maquetes e textos retratam parte do seu trabalho nos últimos anos, executados ou em execução em várias cidades de Minas, Brasília, Goiás dentre outras. Os textos […]

Continue a ler
eduardo tagliaferri

Eduardo Tagliaferri – Projetos e Obras

AP Cultural | 2003 O que se depreende da arquitetura de Eduardo Tagliaferri é uma tentativa de elaborar conceitualmente a pregnância da arquitetura dentro da natureza, realizando naquela os princípios motores entrevistos nesta. Tal referência recíproca, que ultrapassa a simples relação obra – entorno, nos orienta a ler a sua obra como Meta-Arquitetua pois seu […]

Continue a ler

Cidade do Avião

“O esboço do projeto da Cidade do Avião é uma proposta que reúne o sucesso de um ideal, transformado em realidade pelo esforço e dedicação de um punhado de oficiais da Força Aérea Brasileira, com um cuidadoso planejamento de consistências e coerências técnicas, sociais, culturais e financeiras. É também uma prova de uma grande coragem de conservar, recriar, ampliar e transformar um museu de sucesso em um empreendimento politicamente correto e avançado na concepção sócio ambiental. Mais do que isso, partindo de um ponto de referência de educação, cultura e lazer, pretende ser um polo de desenvolvimento e atrativo investimento para a iniciativa privada”.

Continue a ler

CRMMG Conselho Regional DE Medicina de Minas Gerais

Nada mais importante na arquitetura, entendida como inserção urbana, do que a relação entre o caminho e a praça, itinerância e radiância, horizontal e vertical, terra e céu, animadores da nossa capacidade de transcender o plano moral e pragmático.
Nas grandes densidades urbanas perdeu-se a transcendência –e com ela, o vazio.
Exemplo melhor dessa capacidade de relacionar itinerância e radiância –ou sua perda– é o conjunto Sulacap/Sudameris, em Belo Horizonte (Roberto Campello, 1941) que, com suas torres, conformava a antiga praça dos Correios, compunha um pórtico simétrico que enquadrava o viaduto Santa Tereza e, mais ainda, integrava visualmente o bairro da Floresta ao Centro, num diálogo sedutor entre o centro projetado e o novo bairro que se consolidava.

Continue a ler

Habita Sampa

Este projeto é um desenvolvimento lógico e aplicado do sistema proposto para o 2º. Prêmio Usiminas Arquitetura em Aço (1º. Prêmio – 1999) no qual repetimos textualmente alguns conceitos adotados, apenas formatando o sistema para esta nova situação proposta pelo concurso, além de algumas modificações de material e montagem propostos pela equipe Usiminas e maior desenvolvimento dos painéis elétricos e hidráulicos projetados pelo engenheiro Absalão de Carvalho.

Continue a ler
Casas Livro de Sylvio de Podesta

CASAS – Sylvio de Podestá

AP Cultural | 2000 ——- índice do livro ALGUMAS PALAVRAS Carlos Alenquer CASAS (textos) Sylvio E. de Podestá ALGUMAS CASAS 1: CASA GABY I 2: CASA RICARDO E SHEILA 3: CASA ROSINHA 4: CASA ROGÉRIO FRANCO 5: CASA HÉLIO E JOANA 6: CASA SYDNEY E KARLA 7: CASA RUBENS 8: CASA ARQUIEPISCOPAL DE MARIANA 9: […]

Continue a ler

itaú Power Center e Itaú Power Shopping

Inaugurado em outubro de 2003, a construção do shopping no local da antiga fábrica de cimento Itaú, de onde preservou-se as chaminés, marco urbano e histórico industrial de Contagem, o Itaú Power Center tem como característica principal a concentração de operações comerciais diversificadas e de grande porte. Um grandioso centro de compras, lazer, alimentação e entretenimento, localizado em uma área de grande influência geográfica, populacional e estratégica, confluência da Belo Horizonte, Contagem e Betim e abrangendo 35 cidades num raio de pelo menos 100km, com população estimada de 3 milhões de pessoas.

Continue a ler

Edifício Direcional

Este edifício abriga a sede da construtora na sua parte comercial, que o ergueu de forma a traduzir a imagem de contemporaneidade com que ela tentava impor aos seus clientes.
Um subsolo semi-enterrado foi necessário em respeito ao lençol freático. Logo acima três níveis, a loja ocupada pela construtora, pilotis e cinco pavimentos com uma unidade residencial por andar, sendo o último, duplex.
Estruturado em concreto armado, na sua leitura externa é possível perceber o domínio da solução estrutural, visível nos pavimentos acima do pilotis com a adoção de balanços, desenhada na medida exata da independência dos volumes. No revestimento da torre principal, reforça-se esta leitura no desenho do assentamento do revestimento e do formato das esquadrias laterais. Esta solução sugere leveza ao conjunto, reforça suas independências mas dá à relação dos dois acoplagem conveniente.

Continue a ler